Como cuidar de um cachorro adotado

Uma mulher de cabelo marrom e blusa jeans, abraça um cachorro preto, sob um fundo desfocado.

 

Então você se rendeu àquele aviso na rua escrito “cães para adoção” e adotou (ou quer adotar) um novo melhor amigo? Parabéns pela decisão. Além de estar salvando a vida do animal que vai dividir um lar com você, também contribui com mais espaço e condições para o abrigo ajudar outro animalzinho necessitado. Todos ganham com a adoção. 

Nesse artigo nós vamos passar algumas dicas sobre como cuidar de um cachorro adotado, desde sua rotina com visitas periódicas ao hospital veterinário, até como escolher a melhor ração para filhotes ou dicas para entender melhor seu comportamento. 

Vale lembrar da importância que esse trabalho dos abrigos e canis têm para a vida dos pets. O abandono de animais ainda é um sério problema no Brasil, mesmo sendo crime previsto pela Lei Federal nº 9.605/98 com punição de uma multa de 4 mil reais, ou detenção de três meses a um ano em casos de maus tratos. Uma triste realidade que podemos combater adotando e dando amor a esses bichinhos. =) 

 

Como escolher o abrigo para adotar seu cachorro?

Uma mulher e uma criança encaram um cachorro preto, separados por grades.

Essa é uma via de mão-dupla: assim como você escolhe o abrigo, eles também querem te conhecer melhor para saber se você tem condições de levar o animal para casa ou não. Qual é o espaço que você tem em casa, quanto tempo da sua rotina você passa na rua e qual é sua disposição para passeios e brincadeiras. Responder essas perguntas são os primeiros indicativos de que você está no caminho certo para uma adoção segura e responsável. 

Com a pandemia, várias ONGs reforçaram os processos de adoção de cachorros online. Esta é uma boa oportunidade para você criar esse elo de confiança com o abrigo, avaliar as fotos dos animais e começar a sonhar com seu novo amigo circulando pela casa muito em breve. Navegue pelas fotos de todos eles e não se prenda somente aos animais de raça, filhotes ou adultos. Todos eles merecem uma chance. Confira o tamanho, peso, se é castrado ou não, histórico médico (se possível) e todas as informações disponíveis no site. 

 

Entenda o comportamento e saiba como cuidar do cachorro de um abrigo

Uma mulher de camisa branca e um cachorro branco deitados juntos sobre a grama.

Alguns amiguinhos adotados em abrigos podem vir com uma carga extra de emoções. Você nunca vai conseguir imaginar o que passou em sua vida antes de ser resgatado, mas pode se preparar para algumas características residuais dessa jornada. 

Quais seriam os principais traços de personalidade de cachorros nessas situações? 

- Ansiedade; 

- Reações agressivas com pessoas ou outros animais; 

- Comportamento destrutivo; 

- Choro constante.  

Estes são alguns dos comportamentos que podem vir com seu animalzinho resgatado. Não significa que ele seja naturalmente desse jeito, é uma reação ao momento que está vivendo: entre ser abandonado, resgatado e adotado por um novo lar. Se fosse você numa situação dessas, estaria vivendo a mesma montanha-russa de emoções. A empatia aqui é bem fácil de ser aplicada. 

E qual é a melhor maneira de lidar com essa fase inicial do pet em sua nova casa? A principal estratégia para lidar com esse comportamento é dar amor <3, além dessas outras dicas: 

- Ele precisa se sentir seguro: o animalzinho fica mais calmo quando se sente protegido, cuidado e acolhido em seu novo lar;  

- Crie uma rotina: isso reforça o ponto da segurança. O pet fica calmo com uma agenda diária de passeios, refeições e brincadeiras. Quem não gosta, né? 

- Comece a trabalhar sua ausência: assim ele não fica ansioso quando você não está em casa. O importante é que ele fique calmo sabendo que você voltará logo. Isso pode acontecer com pequenos intervalos de ausência (começando com uma ida rápida até a padaria, por exemplo, até um dia de trabalho fora de casa); 

- Tem que gastar energia: deixá-lo cansado após exercícios e brincadeiras também é uma ótima forma de baixar sua ansiedade. Um cão ativo é um cão feliz; 

- Brinquedos e estímulos por todos os lados: assim o cachorro não fica entediado, com vontade de chorar ou destruir as coisas. Utilize brinquedos, comidas escondidas ou um rádio ligado para fazer companhia; 

E o principal... 

- Não esqueça que esse é um cenário temporário: com o tempo você vai conseguir identificar quais são as características da personalidade do seu pet e o que eram reações ao processo de adoção. Tenha paciência.  

   

 A importância das visitas periódicas ao veterinário 

Uma mulher de jaleco branco utiliza um estetoscópio em um cão marrom que mostra a língua para a câmera. Ao fundo, um ambiente inteiramente branco.

É essencial começar a levar o cachorro ao veterinário ainda na primeira semana de adoção. Tanto filhotes quanto adultos. Esses profissionais vão te auxiliar com todos os exames de rotina para conhecerem melhor o animal, além de indicar as melhores rações e alimentos que contribuam com sua saúde.  

O que acontece nessas primeiras visitas? Você faz um check-up do pet para saber como está sua saúde no geral, com testes físicos (olhos, ouvidos, orelhas, coração, pulmão) e começa a entender qual é o estado normal do seu cachorro. É capaz que você tenha que responder uma série de perguntas, para o veterinário entender qual o estilo de vida que aquele cachorro pode ter dentro da sua rotina diária, indicando a quantidade de passeios, exercícios e alimentação que funcionem melhor entre seus hábitos. Não esqueça que a hora do passeio é do cachorro. Deixe-o cheirar, latir e brincar bastante nessas oportunidades.