Como prevenir latidos excessivos do seu cão

O latido é uma das principais formas que os cães encontram para se comunicar e ele pode ter diversos significados. Esse alerta é fundamental para que possamos entender as situações pelas quais seu amigo está passando e deixá-lo o mais confortável e tranquilo possível ao seu lado.

Entretanto, sabemos que o som de cachorro latindo pode ser desagradável e causar diversos aborrecimentos com a vizinhança, principalmente para quem mora em apartamento.

Para evitar o mal-estar em casa e com os vizinhos, separamos um passo a passo de como identificar a causa do barulho e como adestrar seu cão para não latir em excesso e sem motivos. Confira!

1. Conheça os principais significados do latido

Um cachorro marrom, com pelo denso late para o alto, deitado sobre um gramado.

O primeiro passo para fazer seu cachorro parar de latir em excesso é conhecer os possíveis motivos pelos quais ele está tentando se comunicar, e o latido pode conter diversos significados diferentes. Confira os principais:

  • Tédio: devido à falta de brinquedos, atividades ou companhia;
  • Ansiedade: mais comum em cães que passam o dia todo sozinhos;
  • Necessidade de atenção: quando o cachorro tenta atrair a atenção de tutores;
  • Conversa: com outros cachorros que podem ser ouvidos no ambiente;
  • Felicidade: espécie de “oi” para os tutores ou visitas;
  • Defesa: para proteger o território de pessoas/animais desconhecidos;
  • Alerta: para avisar que alguma situação atípica está acontecendo;
  • Medo: quando o cãozinho se sente ameaçado;
  • Problemas de saúde: para avisar que o funcionamento de seu corpo não está normal;
  • Compulsão: cachorro latindo muito e sem motivo aparente.

 

2. Identifique a causa do latido do cachorro

Dois cachorros brincam em um gramado, aparentando latir um para o outro.

Agora que você já conhece as possíveis causas do latido do cachorro, chegou a hora de saber como identificá-las corretamente e solucionar o problema. Para isso, é importante se atentar a três fatores essenciais:

  • Cenário: repare nos momentos em que seu cachorro costuma latir e verifique se um dos significados acima está presente na situação. Por exemplo, se notar que seu amigo costuma latir muito quando a casa fica vazia, ele provavelmente está sofrendo de ansiedade de separação.
  • Expressões: a “cara” e os movimentos dizem muito sobre os animais. O rabo erguido, por exemplo, pode indicar alegria em te ver, já quando estiver baixo, pode sinalizar que o cão está com medo e se sentindo inseguro.
  • Características do barulho: o cachorro está latindo alto ou baixo? Rápido ou devagar? Por períodos longos ou curtos? Tudo isso deve ser observado para entender melhor a fonte do ruído. Exemplos: latidos rápidos e em altura mediana podem indicar situações ou presenças estranhas, já os baixos e lentos costumam anteceder um ataque. Enquanto isso, o latido prolongado é mais usado para chamar a atenção de tutores.

 

3. Lide com os latidos da forma correta

Um cachorro preto abre a boca para a câmera, em um amplo gramado esverdeado.

Como mencionamos, a maneira mais fácil de prevenir latidos excessivos é entender o que seu cão está querendo comunicar com o ruído. Por isso, nossa primeira dica para lidar com o contratempo é identificar e agir diretamente na causa do latido. Por exemplo, se perceber que ele está latindo por conta do tédio, procure criar uma rotina mais agitada, com atividades físicas, brincadeiras e brinquedos que possam estimulá-lo.

Caso você não reconheça nenhum motivo e entenda que seu amigo está latindo por compulsão, é recomendado seguir com o adestramento de cães. Confira algumas dicas de como educar o cachorro nessas situações:

  • Não grite: o tom de voz elevado não fará o cachorro parar de latir. Pelo contrário: o grito pode contribuir para a agitação e ansiedade do animal, além de dar a entender que barulhos são permitidos no local. O ideal é falar de maneira firme e controlada, para tranquilizá-lo.
  • Crie um ambiente calmo: se você tiver espaço, é recomendado criar um ambiente tranquilo e aconchegante para seu amigo de quatro patas, com cama, brinquedos, cobertas, comida e água. Assim, ele poderá se refugiar e relaxar em momentos de medo, ansiedade e estresse, diminuindo as chances de latir.
  • Defina limites: uma boa dica é definir a quantidade de latidos aceitáveis. Então, quando ele ultrapassar o limite, peça (de maneira calma, firme e controlada) para ele parar.
  • Recompense os avanços: quando seu cachorro seguir as dicas de adestramento e parar de latir em excesso, lembre-se de reconhecer a atitude e elogiá-lo por isso. Você também pode recompensá-lo com um petisco PEDIGREE® ou com um carinho. Assim, você mostra que o latido não é o melhor caminho para conseguir o que deseja e o motiva a continuar te obedecendo.

___________

Gostou das dicas? Aqui no site PEDIGREE®, você encontra outros artigos sobre como adestrar um cachorro, além de recomendações para alimentação, vacinação, exercícios e muito mais!