Quais vacinas um cachorro precisa tomar ao longo da vida?

Apesar de algumas pessoas se mostrarem contra, a vacinação é uma medida preventiva com eficácia comprovada e extremamente importante para a saúde do pet e de todas as pessoas que convivem com ele.  
 
Os animais, principalmente os filhotes, são muito vulneráveis às doenças, que podem ser graves e até fatais. Por isso, é essencial vacinar seu amiguinho antes de colocá-lo em contato com outros pets. Afinal, como dizem, é melhor prevenir do que remediar, não é mesmo? 
 
E para te deixar a par dos cuidados com o cachorro, separamos uma lista com as principais vacinas que seu cão deve tomar quando for ao hospital veterinário.  
 
Vacinas múltiplas (V8 e V10) 
 
Também conhecidas como polivalentes, são as primeiras vacinas para o cachorro que você deve garantir. Elas criam resistência a diversas doenças adquiridas por vírus ou bactérias, como: 
 
Adenovirose: disfunção infectocontagiosa que pode causar gripes e evoluir para pneumonia;  
 
Cinomose: doença viral altamente contagiosa e letal, que pode afetar todo o organismo do animal; 
 
Coronavirose: enfermidade que atinge a área intestinal, provocando diarreia e desidratação (apesar do nome, não deve ser associada ao Covid-19);  
 
Hepatite infecciosa canina: doença viral e grave que compromete o fígado;  
 
Leptospirose: doença bacteriana que danifica, principalmente, rins e fígado, podendo ser transmitida para humanos; 
 
Parainfluenza: patologia respiratória e contagiosa;  
 
Parvovirose: distúrbio que atinge principalmente o sistema gastrointestinal, causando perda de nutrientes e até mesmo de sangue. 
 
Ambas podem ser aplicadas a partir de 6 semanas e devem ser tomadas em intervalos de duas a quatro semanas, até que o cachorro complete 16 semanas. Após esse período, ela deve ser injetada anualmente em dose única, para o reforço da imunização. 
 
 
Vacina contra a gripe canina 
 
A gripe canina, também chamada de tosse dos canis ou traqueobronquite infecciosa canina (TIC), é uma doença que pode ser contraída tanto por vírus quanto bactérias. 
 
Seus sintomas mais comuns são tosse, espirro e febre, mas não se engane: ela parece simples, mas pode levar à pneumonia grave.  
 
Felizmente, esse é mais um problema que pode ser evitado graças à ciência! A vacina contra gripe canina está liberada a partir de 8 semanas de vida e pode ser aplicada por injeções ou via nasal. Nesse caso, o melhor é conversar com o veterinário e entender qual a melhor forma de administrá-la no cachorro. Depois disso, seu reforço é dado anualmente em dose única, assim como as vacinas múltiplas. 
 
 
Vacina contra giárdia 
 
Causada por parasitas, a giárdia é uma doença bem comum entre os cães e pode ser disseminada para todos da casa. Por atingir o sistema digestivo, ela costuma causar diarreia, vômitos, perda de peso e desidratação. Bem inconveniente, não é? 
 
Para evitar a contaminação, seu cachorro pode garantir a vacina contra giárdia a partir de 8 semanas, com duas doses iniciais que são aplicadas em um espaço de duas a quatro semanas. O reforço é dado uma vez ao ano, em uma dose. 
 
 
Vacina antirrábica  
 
Sem dúvidas, essa é uma das principais vacinas para cão que existem, aliás, é obrigatória. Ela previne a raiva canina: doença grave que atinge o sistema nervoso central e pode ser letal tanto para animais quanto humanos. 
 
Ela pode ser adquirida a partir de 12 semanas e a quantidade de doses deve ser confirmada na hora de levar o cachorro no veterinário. Seu reforço também é aplicado em dose única, uma vez ao ano. 
 
Atualmente, a raiva canina está quase erradicada da América Latina e, para que continue assim, é importante manter a vacinação em dia, ok? 
 
 
Vacina contra leishmaniose 
 
A leishmaniose é contraída pela picada do mosquito palha, afetando diretamente o sistema imunológico. Como pode ser transmitida de animais para humanos, também é muito importante manter a vacinação contra ela em dia. 
 
A vacina para imunização está liberada a partir dos 4 meses, com três doses iniciais - que devem ser aplicadas em intervalos de 21 dias - e reforço anual, com dose única. 
 
 
Organize as datas de vacinação 
 
Como você viu, a administração de vacinas é frequente, principalmente nos primeiros meses de vida. Por isso, é importante atentar-se às datas. Ao visitar a clínica veterinária, aproveite para esclarecer todas as suas dúvidas sobre doenças e confirme quando vacinar o cachorro.  
 
Siga as datas estabelecidas pelo profissional responsável e mantenha a vacinação sempre em dia. Vale anotar no calendário, colocar um alarme no celular ou até colar anotações pela casa, só não dá para adiar as aplicações.  
 
Assim, você garante uma vida saudável e radiante para quem mais traz alegrias para o seu dia! 
 
__________________  
 
 
Para conferir essas e outras informações sobre como cuidar de um cachorro, acompanhe nossos artigos aqui no site e fique por dentro de tudo o que acontece no mundo canino!